Breves Existências...

Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupar em entender viver ultrapassa qualquer entendimento. Me pergunta se pedras estarão no caminho? Te respondo que eu as guardo todas e que um dia vou construir um castelo...
Lembre-se que não alcançamos a liberdade buscando a liberdade, mas sim a verdade. Há duas épocas na vida, infância e velhice, em que a felicidade está em uma caixa de bombons. Não sei...se a vida é curta ou longa demais para nós, mas sei que nada do vivemos tem sentindo, se não tocarmos o coração das pessoas.
Precisamos de máquinas, mas mais que de máquinas, precisamos de humanidade. O amor é a força mais abstrata, e também a mais potente, que há no mundo e que para lidar com o sofrimento é preciso perceber que ele faz parte da nossa vida. É triste pensar que a natureza fala e que o gênero humano não a ouve e que o mundo não está ameaçado pelas pessoas más, e sim por aquelas que permitem a maldade.
Há sempre alguma loucura no amor, mas há sempre um pouco de razão na loucura. Nunca estamos mais longe de nossos sonhos do que quando imaginamos possuir o que desejamos. A pessoa certa é a que está ao seu lado nos momentos incertos.
Se eu conhecesse a causa da minha ignorância, seria um sábio e que embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, todos podem começar agora e fazer um novo fim!

Texto construído a partir de fragmentos de:
- Clarice Lispector
- Fernando Pessoa
- Leon Tolstoi
- Carlos Drummond
- Cora Coralina
- Charlie Chaplin
- Mahatma Gandhi
- Dalai Lama
- Vitor Hugo
- Albert Einstein
- Nietzsche
- Iohann Goethe
- Pablo Neruda
- Kahlil Gibran
- Francisco Cândido Xavier

1 comentários:

Leandro Xavier | 3 de junho de 2009 20:35

Belíssimo texto kim ....
Muitu massa
:)

Postar um comentário

G+

Mostruário...

Qualquer Coisa © 2008. Blog design by Randomness