Explicação de demora...

Gente, mil perdões pelo sumisso...O meu blog estava dando erro toda vez em que eu tentava logar...sempre que eu apertava o botãozinho pra entrar ficava carregando até a conexão cair...Ficou assim desde a minha ultima postagem...

Tente, estou cheio de notícias pra contar e cheio de idéias...postarei assim que der, pois vou a uma festa jajá e estou meio sem tempo...

Beijão gente e até mais...

É natal, é natal...

Gente, essa época, para mim, é um período de recordações... de sentar na calçada com a Tati e fazer uma espécie de retrospectiva 2009. Todo ano é da mesma forma, pois todo mundo, ao nosso redor, tem fases... menos a gente.

Relembrar do passado bem distante, que queríamos que ocorresse esse ano novamente... lembrar dos namoros dos outros e mesmo dos nossos... lembrar das bebedeiras e das brigas... dos desentendimentos e dos cortes de cabelo... lembrar dos chutes e dos abraços... lembrar de tudo...

Lembrar dos amigos que tem suas fases também... fases de namoros, fases de festas, fases de gente grande... enfim, diversas fases... Fases de planejar ir embora, planejar beber, planejar roubar bancos...

No natal eu sempre me lembro de como era a vida quando eu tinha 14 anos... era tudo tão fácil... quebrávamos árvores e roubávamos presentes... era legal porque a nossa ceia era pizza com coca e acabávamos a noite no fliperama... Hoje a gente fica sentado na calçada em frente a avenida com um cigarro na mão e uma garrafa de vinho barato do lado...

Desejo a todos um Feliz e aconchegante Natal... um prospero Ano Novo cheio de realizações e sonhos novos...ahah...abração pessoal e até mais...ahh

Dedicado a Minha pequena Miss Sunshine, ao quase extinto Clube dos Canalha, ao museu da destruição, ao qual chamo de lar, e a todos aqueles que tentaram e tentam fazer esse dia milagroso...

Vamos falar de música...


Gente, fiquei lisonjeado quando o Arthur, do Em Crônicas e Contos me convidou para fazer parte dessa postagem coletivo que os caras do Furo LM e o Ká Entre Nós estavão promovendo...

Passei horas pensando sobre o que eu iria escrever...gente, não me veio nada na cabeça...então pensei e vi que a melhor parte sobre a música, na minha opinião é quando você aprende a real diferença entre um acorde e uma nota, uma clava e uma dissonante...ou seja, quando você aprende “música”...

Aprendi a tocar violão por acaso. Eu tinha uns 12 anos e um amigo estava tendo aulas com o irmão mais velho e eu fui lá também. Comprei meu primeiro violão dias depois por 23 contos. Eu o chamava de Pedra, porque para fazer uma pestana era necessária uma pedra de tão ruim que ele era. Minha primeira namorada me dava uns toques. Ela tocava melhor que eu...

Ganhei minha primeira guitarra quando eu estava no primeiro ano e pra ser sincero eu era horrível. Eu a chamava de Adriana, nem sei porque. Ficava a noite inteira fazendo barulho até que os vizinhos reclamavam e minha mãe me obrigava a parar. Vendi-a anos depois, para um babaca que tocava comigo, para comprar Charlotte, minha atual guitarra. Melhorei muito nesses anos que se passaram. Entrei em bandas e montei outras. Normalmente eu era expulso por falta de interesse, mas também se não, os caras queriam passar anos tocando sempre a mesma porcaria.

Toquei violino durante uns anos e toquei no quarteto de cordas durante uns outros, mas sai por que quase nunca aparecia para os ensaios... Sempre fui muito desleixado em relação a ensaios, nunca fui muito de passar mais de um mês tocando as mesmas músicas...gostava de variar...

Pois é, esse foi um pouco da minha vida como músico... não foi muito doida, mas foi bem Rock n’ Roll...



O que eu curto? Bem, escuto de tudo... desde Brega até Trash... Nunca abri mão de uma boa ópera ou de um bom blues... Minha vida sempre foi bem regada de clássicos... Nasci ouvindo Raul, depois foi Led e Iron... meu pai gostava de alguns clássico, mas não de todos... Ele tinha uma velha fita que nunca ouvia, certa vez cheguei em casa e pus pra rodar... me apaixonei de primeira pelo lado A quando tocou AC/DC e pelo lado B quando tocou Kiss... Nunca nos entendemos sobre essas bandas...

Ouvi bastante Enya durante minha adolescência e tempos atuais gosto de Sarah Brightman... Ouvi muito Metallica e Guns n Roses... mas também gosto de alguns clássicos do pop, como o ilustre Roxette e o Rei Michael...

Minha top 5 vai de:
1 – Falling Slowly - Glen Hansard and Marketa Irglova
2 – Nostalgia - Jun Maeda e Ryo Okabe
3 – Sinta Vontade de Ficar - Canto dos Malditos na Terra do Nunca
4 – History - Funeral For a Friend
5 – Eversleeping - Xandria


A meus amigos antes de morrer...

Há lugares dos quais vou me lembrar por toda a minha vida, embora alguns tenham mudado.
Alguns para sempre e não para melhor. Alguns se foram e outros permaneceram.

Todos esses lugares tiveram seus momentos, assim com amores e amigos, dos quais ainda posso me lembrar.
Alguns estão mortos e outros estão vivendo em minha vida, eu mesmo já amei todos eles.

Mas de todos esses amigos e amores não há ninguém que se compare a você que tanto me foi importânte.
E essas memórias perdem o sentido quando eu penso no amor como uma coisa nova.

Embora eu saiba que eu nunca vou perder o afeto por pessoas e coisas que vieram antes,
eu sei que com freqüência eu vou parar e pensar nelas em minha vida, e que eu amo mais a você...

Obs.: Texto baseado na música In my life do The Beatles...
Obs2.: Respostagem do dia 30/07/09...

Um a um...

Ainda sem muitas novidades e sem muitos progreços...trago-lhes uma versão desta belíssima composição da banda Beirut... Elephant Gun...


Se eu fosse jovem, eu fugiria desta cidade
Enterraria meus sonhos no subsolo
Como eu, nós bebemos até morrer, nós bebemos esta noite ...

Longe de casa, elephant gun*
Vamos derrubá-los um a um
Nós os deitaremos, eles não serão encontrados, não estão por aqui ...

Que comecem as estações! - elas rolam como devem
Que comecem as estações! - derrube o grande rei

E rasgam o silêncio do nosso acampamento à noite
E rasgam a noite ...

E rasgam o silêncio do nosso acampamento à noite
E rasgam o silêncio, tudo que é deixado é o que eu escondo
...

*Elephant gun: é uma arma de calibre largo. Ela tem esse nome porque originalmente eram feitas para uso de caçadores de elefantes ou outras caças perigosas.

Nesse jardim que chamamos cidade... parte II

“no inverno fica tarde + cedo
só depois de perder você descobre que era só um jogo
um jogo que não acaba nunca e nunca acaba empatado
se foi um sonho, se foi o céu, eu não sei
eu que não sei perder, perdi o sono
na escuridão, na escuridão”



Ontem fui atrás de resolver o meu problema com esse meu amigo e ele nem pra dar as caras... o ruim é que ele vai viajar sexta e nem sei se ele volta... a ultima coisa que quero é que alguém se mande com raiva de mim...

Ontem o meu dia foi bem legal... trabalho calmo, vi uns amigos, rodei a cidade, conheci uma menina... foi bem legal... tirando o fato dele não ter aparecido...

Cara, fui com o coração na mão pra assumir o meu erro e a cara pronta pra levar um soco, mas ele vai e fura e até agora não entrou nem no msn...

Gente, to meio assim, sem cabeça pra escrever... depois eu conto o desenrolar, ok... Abraço gente...


Obs.: Trecho da música “no inverno fica tarde + cedo”, Humberto Gessinger...

Nesse jardim que chamamos cidade...

Mesmo que encontrássemos outro Éden,
não teríamos condição de desfrutá-lo perfeitamente
nem de ficar lá para sempre.

- Henry Van Dyke
O meu Éden tá meio difícil de encontrar... as vezes fica longe... as vezes me perco... sei lá... tudo anda tão sem graça e a certeza de não poder fazer o que eu quero me mata.

Detesto me sentir acorrentado, mas acho que assim é melhor... um dia eu paro e esqueço do que quero... ae todo mundo fica bem...

Cara, eu te peço desculpas pelo que eu fiz e hoje vou tentar me redimir... vou tentar me desculpar contigo. Foi errado da minha parte, sei disso. Por isso que vou abrir mão do que eu quero por ti...

Sei que não fui um bom amigo, mas sei que pelo menos agora posso fazer alguma coisa de bom... se é que se pode chamar isso de “bom”...

Eu só queria encontrar um buraco e enfiar a minha cabeça lá em baixo...

Confusão básica...

Hoje é domingo e continuo com a mesma cabeça com que estava ontem quando cheguei em casa pela manhã.

É chato ter só que olhar e lamentar o erro que cometi ontem... Cara, eu nunca lamentei tanto por ter entendido algo errado como lamentei ontem. Cara seria tão bom se eu não estivesse errado... se eu tivesse agido como adulto ou como burro e lesado mesmo.

Eu queria... realmente queria que estivéssemos certos naquilo, mas como foi um erro então esqueçamos, pois não sei se quero voltar a cometê-lo... mesmo me conhecendo bem, pois sei que eu cometeria novamente e novamente.

Don Juan está sangrando, assim como sua mão estava...

"Outro dia para todos os ternos e gravatas
Outra guerra para lutar
Não há uma estima para a vida
Como eles dormem a noite?
Como nós podemos fazer coisas certas?
Quero apenas fazer isto certo"

Obs.: Trecho da música We believe, Good Charlotte: http://www.youtube.com/watch?v=z_fH1_60DZQ&feature=channel

Final de ano... grande coisa, nam...

É meio estranho quando chegamos a essas épocas do ano... Épocas em que, por mais que você não queira, te tocam... Natal pra mim é sinônimo de jogar pedra em árvores, família viajando (cada um para seu rumo), festas até não querer mais e ex voltando a perturbar...

Sei lá, esse ano eu nem sei o que vou fazer (assim como são todos os anos)... acho que vou ficar em casa mesmo ou, quem sabe, viajar pra bem longe...

É engraçado, mas eu parei agora pra pensar no meu passado... estava vendo umas fotos e umas mensagens... Cara, é tão chato lembrar que é sempre você que estraga tudo, no caso eu quem sempre estrago tudo... Sou sempre eu que vacilo e te faço terminar. Sou sempre eu que troco tudo por você e largo meus amigos, mas se troco você por eles, então, eu te perco, assim como aconteceram várias vezes...

Sei que hoje faríamos 1ano de namoro, mas você não está aqui. Sei que vacilei, mas você também não ajudou. Na nossa primeira briga séria nós terminamos... Sei que você pode sempre me culpar por eu ter chegado em ti só porque queria pegar a sua amiga, mas você é que sempre chamava os meus amigos de maconheiros e psicopatas... Se não fossem esses erros nós nunca teríamos nos conhecido...

Hoje, eu sei bem o quanto sinto sua falta, mesmo sendo mentira. Eu queria pelo menos ter alguém pra conversar no dia do nosso aniversário de 1ano...

Por nós e por eles... afinal, sou só um babaca que concertava aspiradores e corações...

Quantas vezes estive aqui
Quantas vezes eu me perdi
E quantas vezes eu me perdi no oceano
Se você não estivesse lá para me salvar

Estamos à velar, a velar todas as noites
Nós estamos à deriva, à deriva sozinho excetuando
Não pra mostrar o quão necessitados estamos
Mas eu gostaria de curar suas feridas se você se machucar

Quantas vezes já te magoei
Quantas vezes você já me machucou
E quantas vezes eu fiquei sobre meus joelhos
Implorando, implorando por favor que me perdoe

Estamos à velar, a velar todas as noites
Nós estamos à deriva, à deriva sozinho excetuando
Não pra mostrar o quão necessitado estamos
Mas eu gostaria de curar suas feridas se você se machucar

Obrigado por ter sido tão paciente comigo
Eu tenho sido mais fraco do que eu devia ser
Desespero e inveja cegam minha mente
E eu não podia ver como é que você está tentando por mim


Só preciso de companhia...

Obs.: Esta música chama-se Alone Apart de autoria de The Swell Season, banda de Glen Hansard (da banda irlandesa, The Frames) e Marketa Irglova (pianista clássico tcheca e vocalista).

Quem quiser ver um vídeo...
http://www.youtube.com/watch?v=P7Ypmm_5gxw&feature=related

Para Pensar...

Às vezes construímos grandes sonhos em cima de grandes pessoas. Depois percebemos que grandes eram só os sonhos, pois as pessoas eram pequenas demais.
Mesmo estando no caminho certo, se você ficar sentado será atropelado.
Suba na vida, mas não faça das pessoas os degrais.
A vida é uma festa: a gente chega depois que começou e sai antes que acabe.
Quando se está certo, ninguém se lembra;
E quando se está errado, ninguém esquece.




Texto de autoria desconhecida, mas que me faz ver o quanto sou idiota em acreditar...

Dedico este post a Paulo Lacava, um grande amigo desconhecido e mentor de caminhos próprios...


Sem sair do meu lugar...

Hoje está sendo um dia lindo aqui na cidade. Sol ameno, feriado, sem trabalho, férias na faculdade. Tudo perfeito.

Passei o dia vendo documentários, olhando pela janela e tomando café...

Bem, queria trazer a vocês uma bela música de autoria de Caetano Veloso e José Almino... Vocês já devem ter escutado em algum lugar...


Lisbela

Eu quero a sina de um artista de cinema
Eu quero a cena onde eu possa brilhar
Um brilho intenso, um desejo, eu quero um beijo
Um beijo imenso, onde eu possa me afogar

Eu quero ser o matador das cinco estrelas
Eu quero ser o Bruce Lee do Maranhão
A Patativa do Norte, eu quero a sorte
Eu quero a sorte de um chofer de caminhão

Pra me danar por essa estrada, mundo afora, ir embora
Sem sair do meu lugar
Pra me danar, por essa estrada, mundo afora, ir embora
Sem sair do meu lugar

Ser o primeiro, ser o rei, eu quero um sonho
Moça donzela, mulher, dama, ilusão
Na minha vida tudo vira brincadeira
A matinê verdadeira, domingo e televisão

Eu quero um beijo de cinema americano
Fechar os olhos fugir do perigo
Matar bandido, prender ladrão
A minha vida vai virar novela

Eu quero amor, eu quero amar
Eu quero o amor de Lisbela
Eu quero o mar e o sertão
Eu quero amor, eu quero amar
Eu quero o amor de Lisbela
Eu quero o mar e o sertão

Porque eu vivo assim, mas ainda estou em busca da minha Lisbela...

Mudanças e riscos...

"Crescer significa mudar e mudar envolve riscos,
uma passagem do conhecido para
o desconhecido."


- Autor desconhecido

Adivinha quem vem para jantar...

Rotineiramente desqualificamos testemunhos e exigimos
comprovação. Isto é, estamos tão convencidos da justeza de nosso
julgamento que invalidamos provas que não se ajustem a ele.
Nada que mereça ser chamado de verdade pode ser
alcançado por esses meios.


- Marilynne Robinson, The Death ofAdam

A ESCURIDÃO SE APROXIMA

Nada nos deixa tão solitários quanto nossos segredos. - Paul Tournier

Uma confluência de caminhos

Duas estradas se bifurcaram no meio da minha vida,
Ouvi um sábio dizer.
Peguei a estrada menos usada.
E isso fez toda a diferença cada noite e cada dia.

Larry Norman (pedindo desculpas a Robert Frost)

G+

Mostruário...

Qualquer Coisa © 2008. Blog design by Randomness