Shakespeare Apaixonado, Cartas na Mesa e Papai Noel às Avessas...

Bem o que eu posso dizer? Este mês sempre foi um dos mais esquisitos... Dezembro e eu aqui louco para ver Rakel e o tempo não deixando... Ela até chegou a se zangar por eu não ter aparecido na noite de Natal, mas confesso que foi vacilo meu ter perdido a hora e não ter viajado quando pude...

Odeio sentir saudades, mas neste mês não tem como fugir, só perde para outubro em nível de nostalgia... Costumava sentar na calçada do posto com Tati e ficar lembrando das coisas que fizemos durante o ano... Mas desta vez foi um pouco diferente, já que a deixei esperando enquanto eu bancava o Mané do outro lado da cidade...

Fiquei sentado na calçada do posto com Bekão e lembrávamos da época de escola e de andar de ônibus sem rumo algum... Riamos das besteiras do Forever alone e jogávamos praga um no outro... Depois encontramos Gilson e fomos a casa de Clever... Exageros é normal essa época do ano e depois de um bom churrasco e algumas latinhas fomos embora...

Até esta hora eu ainda não havia parado para pensar nas coisas boas que me aconteceram este ano... Agradeço por ter lhe conhecido, agradeço pelas viagens e pelos ônibus perdidos também... agradeço pelas festas, pelas brigas e pelos caminhos que segui... Nossa, foram tantas coisas que nem consigo contar nos dedos... às vezes parece que eu não esqueço de nenhuma, mas também fica difícil lembrar de tudo...

Bem amigos, boas festas e um 2011 repleto de realizações e sorrisos... que nada seja em vão e que tudo seja aproveitado a seu tempo e com sua intensidade, pois infelizmente o tempo passa rápido demais para que possamos notar que apenas o presente é o instante que podemos fazer algo... bye...^ ^

PALAVRAS AO VENTO

A... primeira letra do alfabeto, é também a primeira letra da palavra amor e se acha importantíssima por isso! Com A, se escreve "arrependimento" que é uma inútil vontade de pedir ao tempo para voltar atrás e com A se dá o tipo de tchau mais triste que existe: "adeus"... Ah, é com A que se faz "abracadabra", palavra que se diz capaz de transformar sapo em príncipe ou vice-versa... Com B, se diz "belo" - que é tudo que faz os olhos pensarem ser coração; e se dá a "bênção", um sim que pretende dar sorte. Com C, "calendário", que é onde moram os dias e o "carnaval", esta oportunidade praticamente obrigatória de ser feliz com data marcada. "Civilizado" é quem já aprendeu a cantar parabéns pra você e sabe o que é "contrato": "você isso, eu aquilo, com assinatura embaixo". Com D, se chega à "dedução", o caminho entre o "se" e o "então"... Com D começa "defeito", que é cada pedacinho que falta para se chegar à perfeição e se pede "desculpa", uma palavra que pretende ser beijo. E tem o E de "efêmero", quando o eterno passa logo; de "escuridão", que é o resto da noite, se alguém recortar as estrelas; e "emoção", um tango que ainda não foi feito. E tem também "eba!", uma forma de agradecimento muito utilizada por quem ganhou um pirulito, por exemplo... F é para "fantasia", qualquer tipo de "já pensou se fosse assim?"; "fábula", uma história que poderia ter acontecido de verdade, se a verdade fosse um pouco mais maluca; e "fé", que é toda certeza que dispensa provas.


Bem amigos, eu aqui de volta... trago-lhes a primeira parte desse ilustre texto recitado e encenado por Lázaro Ramos... espero que gostem... abraço e até mais...

G+

Mostruário...

Qualquer Coisa © 2008. Blog design by Randomness