No Surrender...

Bruce Springesteen envelheceu... É engraçado eu achar que nunca envelheceríamos... Um amigo me desejou feliz aniversário dizendo Forever Young... Às vezes acho engraçado olhar pra trás e ver as mudanças que o mundo nos causou... Os tempos foram voando meio que sem querer, meio que com medo de acertar algo ou mesmo medo de mudar...

Às vezes eu toco um Em e me lembro de No Surrender, não sei por quê... Lembro-me que fugimos da sala de aula, tínhamos que fugir daqueles idiotas. Aprendemos bem mais com um disco de três minutos do que jamais aprendemos na escola... Esta noite eu ouvi o som do baterista do bairro. Eu posso sentir meu coração começando a bater mais forte. Você diz que está cansada, que apenas quer fechar os olhos e seguir seus sonhos até o fim...

Fizemos uma promessa... Juramos que sempre nos lembraríamos... Sem retirada, acredite em mim, sem rendição. Como soldados em uma noite de inverno, com um juramento a defender... Sem retirada, acredite em mim, sem rendição...

Agora, rostos jovens tornam-se tristes e velhos e corações de fogo tornam-se frios. Nós fizemos juramentos de irmãos de sangue contra o vento. Sei que estou pronto para crescer jovem novamente e ouvir a voz da sua irmã nos chamando para casa pelos quintais abertos. Acreditando que podemos gravar um lugar só nosso com essa bateria e estas guitarras...

Agora, nas ruas, esta noite as luzes se escurecem. As paredes do meu quarto estão se fechando. Há uma guerra lá fora, ainda intensa. Você diz que ela já não é mais nossa para vencer. Podemos dormir no crepúsculo à beira do rio com um vasto campo aberto em nossos corações e com estes sonhos românticos em nossas mentes... Fizemos uma promessa...

Obs.: Baseado na música No Surrender, de Bruce Springsteen; de Forever Young, de Alphaville, e na surrealidade que o mundo lá fora causa a minha confusa mente problemática...

Uma Soma de Fatores

É incrível o que uma soma de fatores não é capaz de fazer em uma quente tarde de domingo... Primeiro fator: Um texto de, no mínimo 5laudas, apenas começado, ressaltando a existência de, aproximadamente, 18 fichas e um comentário, já escrito de 1laude e 12linhas, sobre os conceitos de Nação e Nacionalismo descritos em dicionários de diversos idiomas sob os comentários confusos de Eric Robsbawn...

A leitura, para escrita monográfica, de 18 livros, apenas começados, sobre as diversas temáticas de teoria, metodologia e historiografia, no uso da imprensa e da oralidade em uma pesquisa cientifica que trará frutos positivos para minha carreira como historiador, além dos diversos títulos obtidos em torno de tais conceitos e um cargo almejado, por hora em sonhos, em um pequeno jornal da cidade.

Tais fatores me levam a preguiça agitada, junto a isto, o destino me trás gente interessante ao bate papo de facelivro, sem falar de alguns seriados estranhos que aparecem na minha playlist. Estampando bandas de lado B, gibis de autoria pouco duvidosa e livros e mais livros na estante. No entanto, me pego cantarolando musicas estranhas sobre física quântica enquanto tento lembrar onde foi parar minhas ultimas moedas de troco...

Aos poucos...

Eu nunca gostei de certas exaltações ou regalias que as pessoas trazem para suas vidas... Nunca gostei de comida quente ou de bebida gelada... Nunca gostei... Nunca gostei de pessoas que dizem que a vida deve ser vivida como se fosse o ultimo dia e por isso as coisas deveriam ser vividas ao extremo...

Pessoas que comem comida quente e dizem que o sabor está ai, depois ficam o resto do dia assoviando com a gengiva roxa... Pessoas que dão goladas grandes de água a dez graus e dizem que mataram a sede... Sou fã mesmo é das pessoas que sabem apreciar os sabores e dissabores da vida...

Sempre fui fã das pessoas que sabem apreciar a vida... Sempre gostei de comer e sentir o gosto das coisas, mesmo quando são amargas ou apimentadas... Sempre gostei de dar pequenos goles na água fria e sentir ela deslizar garganta abaixo e esfriar levemente cada cílio e flagelo da traquéia e sentir a sede se esvair aos poucos...

Acho que isso sim é que vale a pena... Acho que pessoas que comem comida quente ou bebem coisas geladas não são felizes... Sim, devemos sempre viver como se fosse o ultimo dia e por isso acho que a felicidade está em apreciar e não em devorar o mundo... Aproveitando cada segundo é o que faz da vida eterna e não abocanhar a testa com os dentes e depois reclamar porque a bebida acabou...

Com todas as palavras

E começou mais uma vez... O dia dos Namorados chegou e eu aqui, pela primeira vez namorando... É estranho e ao mesmo tempo confortável... Sei lá, acho que querer ficar com você já se tornou o estar com você e nesse dia eu quero apenas dizer, ou repetir, as coisas que amo em você...

Eu amo que sinta frio quando está fazendo 21º lá fora... Amo o teu jeito doido de escolher o que comer... Eu amo a ruguinha que você faz no nariz quando está olhando pra mim como se eu fosse maluco e a marquinha na sua bochecha quando sorri sinceramente do outro lado da sala... Amo que, depois de ter passado o dia com você, eu possa continuar sentindo o seu perfume nas minhas roupas. E amo que você seja a última pessoa com quem eu quero falar antes de dormir à noite. E não é porque estou com você e nem porque é dia dos namorados. Eu vim aqui esta noite porque quando você descobre que quer passar o resto da sua vida com alguém, você descobre que nada mais importa...¹

Recordo-me de setembro quando ti entreguei uma carta que dizia o quanto eu amo prestar atenção nos detalhes do teu rosto e das briguinhas tentando dizer que amo suas bochechinhas e seus grandes olhos castanhos que você insiste em dizer que são negros... Recordo-me também de dizer que eu estava começando a pegar o jeito de desenhar borboletas e ainda estou, afinal, viver é sempre aprender algo novo a cada dia e com você isso tudo se torna mais divertido...

À dona dos olhos que me ganhou e me ganharia em qualquer época e qualquer lugar da História...

Obs1.: Do original de Harry e Sally, adaptado pra gente...

G+

Mostruário...

Qualquer Coisa © 2008. Blog design by Randomness