Final de Outubro...

Nesse final de outubro ainda consigo ouvi-la dizer...

Repouse agora sua cabeça frágil e cansada. A noite esta apenas começando... Você chegou ao fim da jornada, então, durma agora e sonhe com os que vieram antes. Eles estão chamando das praias distantes...

Por que você chora? O que são essas lágrimas no seu rosto..? Logo você verá que todo esse medo cessará... Seguro em meus braços você pode dormir tranqüilo...

O que você consegue ver no horizonte? Por que a gaivota branca canta? Através do mar, uma lua pálida se levanta... E os navios vieram para te levar para casa...

E tudo se tornará como em um vidro prateado... Uma luz sobre a água... As almas passarão...

A esperança se apaga em um mundo de noites... Através das sombras caindo fora da memória e do tempo... Então, não diga nada...

Nós chegamos ao fim e as praias brancas estão chamando... Eu e você nos encontraremos novamente e você estará nos meus braços... Dormindo...

E tudo se tornará como em um vidro prateado... Como uma luz sobre a água... E os navios cinza passam pelo oeste...

Obs.: Letra adaptada da música Into The West, de Annie Lennox...

Elfo mentiroso...



Hoje eu resolvi repostar algo que escrevi em 2009, algo que sempre achei interessante por conseguir dizer tudo o que eu queria em poucas palavras... Decidi escrever sobre algo mais... Resolvi falar sobre Lucy e a história de Elfen Lied...

Anime/Mangá baseado num poema de Lynn Okamoto, mesmo criador da série, que conta a história de um ser que tudo o que desejava era ser perdoado... Vocês deveriam assistir... O anime possui influencias artísticas fortíssimas, como os famosos quadros do pintor simbolista austríaco Gustav Klimt e o belíssimo canto gregoriano usado na abertura do anime, intitulado Lilliun, transcrito a seguir...

Afinal de contas, o que realmente significa ser perdoado? O que significa tal ação? Ou o que explica tal sentimento? Muitas vezes me perguntei o por quê de sempre entulharem pensamentos antigos na minha cabaça, afinal, nunca serviu pra nada guardar essas lembranças... a menos que inanição sentimental seja tratado como função...

Mas uma das coisas que nunca discordei é que guardar isso tudo me leva a ser uma pessoa diferente a cada dia... Não digo que sempre sou uma pessoa melhor, já que, na maioria dos casos, acabo me tornando pior... Meio amargo, meio endurecido, meio cabisbaixo, mas calejado e sempre esperançoso... Já que não consigo ser tão pequeno ao ponto de desistir porque sentimentos bobos me tentam por pra baixo todos os dias...

Afinal de contas, o que realmente significa ser perdoado? Ainda espero por sua resposta...


A boca dos justos
Anuncia a sabedoria
E sua língua
Proclama o direito

Bem aventurado o homem que
Sofre a tentação
Porquê, depois que tiver sido provado,
Receberá a coroa da vida

Senhor fonte de bondade
Senhor, oh fogo divino, tende piedade

Oh quão santa,
Quão serena,
Quão benevolente,
Quão agradável,
Essa virgem criatura

Oh quão santa,
Quão serena,
Quão benevolente,
Oh casto lírico.

O primeiro e o segundo verso são, respectivamente, Salmos (36:30) e Tiago (1:12).

Tempo Ruim...

Ergam seus copos por quem vai partir
Longo será o caminho a seguir
Nada será como costuma ser
Nada vai ser fácil sem você

Tantos eu já vi pagando pra ver
Não dá tempo de se arrepender
Nada que já não deva saber
Não há nada que não possa ter

Quero que a estrada venha sempre até você
E que o vento esteja sempre a seu favor
Quero que haja sempre uma cerveja em sua mão
E que esteja ao seu lado, seu grande amor

Eu me despeço de todos vocês
Muitos aqui não verei outra vez
Fora o inverno e o tempo ruim
Eu não sei o que espera por mim
Mas pouco importa o que venha a ser
Se eu tiver um dia a quem dizer

Quero que a estrada venha sempre até você
E que o vento esteja sempre a seu favor
Quero que haja sempre uma cerveja em sua mão
E que esteja ao seu lado, seu grande amor.

Obs.: Versão da música Tempo Ruim, Matanza, em sua homenagem meu velho amigo...

Sabe aqueles dias...

Sabe aqueles dias em que tudo o que você quer é sumir? Pois é, esse foi um desses dias... Não é que ele nunca tenha se repetido antes e nem que tenha sido a primeira vez, só que ele vem se repetindo demais ao decorrer desse mês...

Por favor, deixe-me crer que o meu único dia ruim irá terminar... É tudo o que lhe peço hoje, que esse dia termine bem... Mesmo sem entender o como cheguei a isso e nem que o que sempre costumo fazer, pra sair disso, possa ajudar dessa vez...

Sei que eu sempre estampo um sorriso quando me vêm, mas eu também preciso ser sincero com o que sinto... Para poucos eu sustento o sorriso e a calma, mas ainda assim é difícil não ofender ou magoar, mesmo sem querer, já que o importante não é o que você diz, mas sim a forma como diz e isso é o que me deixa mal... não saber quando ofende e nem a quem ofendo, já que com ela eu nunca vou querer ser grosseiro...

Hoje me ligaram e deram-me os parabéns... Mais um ano, guri. Mais um ano e agora, já se foram sete... É engraçado pensar o quanto esses anos têm passado rápido... Lembra do que eu sempre costumava ti pedir? Me acorde quando outubro tiver terminado, o verão veio e se foi, mas acho que ainda sou o mesmo daquele dia, dia em que eu não pudia ti ouvir gritar, mas se importar é algo que eu tenho feito muito, até demais pro meu gosto...

Não é que eu queira, só que não da pra não se importar com a falta de consideração das pessoas... Ás vezes eu fico desejando voltar a ser como eu era antes. Antes de você ir embora, antes de eu voltar a trocar aquela velha catraca empoeirada por aquele velho e maltratado coração... Hoje ele carrega esparadrapos, costuras e até uns buracos, mas ele ainda funciona bem... Bem até demais...

Certa vez me ensinaram que só as pessoas que amamos nos machucam de verdade... eu nunca acreditei nisso, mas depois de um tempo vi que isso é verdade... é isso o que mais dói... Então velho coração, já que eu aprendi a lição, será que não está na hora de me deixar em paz?

A você, minha doce criança...

Reposto aqui uma versãozinha de Sweet Child O'Mine, música bastante tocada do Guns'n'Roses...A ofereço a uma pessoinha ali que de tanto me fazer raiva me faz amá-la... A você minha pequena e adorével criança...


Ela tem um sorriso que me faz lembrar dos tempos de infância, quando tudo era fresco como o brilhante céu azul. Às vezes, quando olho seu rosto, ela me leva para aquele lugar especial, mas se eu olhasse por muito tempo eu provavelmente perderia o controle e choraria...

Ooooohhh
Minha doce criança



Ela tem olhos como o azul do céu, como se eles pensassem na chuva. Eu odeio olhar naqueles olhos e notar algum traço de dor. Seus cabelos me lembram um lugar quente e seguro, onde, quando criança, me escondia e rezava para que o trovão e a chuva fossem para longe de mim calmamente...

Para onde vamos?
Para onde vamos, agora?
Para onde vamos?
Minha doce criança


Obs.: As fotos meio góticas são em homenágem a ela, que é meio esquisitinha mesmo...

Cachorro, eu descobri uma coisa...

G+

Mostruário...

Qualquer Coisa © 2008. Blog design by Randomness