Feliz, feliz, feliz...

Essa é a história da primeira e da ultima vez que me apaixonei... Sei, vocês podem estar se perguntando o por quê de eu ter dito que esta foi a primeira vez que me apaixonei, sim eu já tive outros relacionamentos e sim eu havia achado que fosse real, mas se fosse de verdade teria durado o tanto quanto está durando agora...

Voltando ao assunto... Esta é a história da primeira e da ultima vez que me apaixonei... Tudo começou com um simples Carpe Diem, visto em um filme que me fez ver que se eu não dissesse que estava gostando dessa guria, talvez nunca tivesse outra chance ou mesmo coragem para dizer... A expressão Um dia deixou de ter sentido no exato momento em que a conheci...

Naquela época, ela não sustentava nenhum sorriso prolongado e nem destinava frases longas, ficava sempre na sua e quase sempre sozinha... Acho que foi esse ar misterioso, misturado com um sorriso sincero e inesperado em uma tarde marcante de abril, que me fez ver o quanto aquela menina de cabelos negros me parecia tão linda e interessante...

Ainda consigo lembrar de sua voz, vindo do banco da frente, me lembrar de não bater a cabeça no teto do microônibus que nos levou ao litoral, local que será lembrado pela música que tentei deixar claro que eu estava disposto a ser o seu lar, mas que ainda tinha muito medo do desconhecido...

Lembro de chegar certa noite, em um evento, e você me pedir, estranhamente, para contar-lhe uma história de terror, mas preferi contar-lhe histórias reais, as quais sempre lhe fazem dormir do outro lado do interfone, hábito nosso que faz dos meus finais de semanas distantes mais felizes...

Com o passar do tempo, quando vieram as brigas e os desentendimentos, tive medo... Tive medo de perdê-la... Perder o seu sorriso a que tanto acho lindo, perder a sua firmeza a que tanto admiro, perder o seu abraço que tanto me protege e principalmente, perder o meu futuro o qual tenho a certeza de que será feliz...

Mas a sua paciência e o seu amor sempre perdoaram esse chatinho barbudo que dorme e acorda sorrindo, mesmo sem lembrar do sonho ele sabe que sonhou com ela, pois acorda sempre sorrindo e desejando que ela esteja da mesma forma...

Sei que daqui a pouco tempo iremos nos ver menos e isso é o meu maior medo, por isso eu evito pensar ou falar no assunto, pois, como você mesma sabe, eu não funciono direito longe de você... Se me perguntarem se eu namoro o oxigênio, eu vou responder que não, que você consegue ser bem mais importante que o ar...

E sei, também, que ainda estamos no nosso sétimo mês de namoro, mas ti desejar feliz aniversário não é só lhe abraçar, beijar e presentear, é dizer Eu TE AMO com todas as palavras e sentimentos possíveis, pois por mais que a gente não tenha quase nada a ver, estar com você vale por tudo...

Ela...




Ela
Talvez seja o rosto que não consigo esquecer,
Um traço de prazer ou de tristeza.
Talvez seja meu tesouro ou o preço que tenho de pagar.
Ela talvez seja a canção que o verão canta,
Talvez seja o arrepio que o outono traz,
Talvez seja uma centena de coisas diferentes
No espaço de um dia.

Ela
Talvez seja a bela ou a fera,
Talvez seja a fartura ou a fome,
Talvez transforme cada dia num paraíso ou num inferno.
Ela talvez seja o espelho dos meus sonhos,
Um sorriso refletido na água,
Ela talvez não seja o que ela parece ser
Dentro de sua concha.

Ela, que sempre parece tão feliz na multidão,
Com olhos tão recatados e tão orgulhosos,
Que ninguém consegue ver quando choram.
Ela talvez seja o amor que não se deve esperar que dure,
Talvez venha para mim como sombras de um passado
Que me lembrarei até o dia de minha morte.

Ela
Talvez seja a razão pela qual eu sobreviva,
O porquê e o
para quê pelos quais esteja vivo,
Aquela por quem me importarei durante os rudes e breves anos.
Eu, eu tomarei seu sorriso e suas lágrimas
E farei deles todos meus souvenires.
Pois onde ela for eu tenho de estar,
O propósito de minha vida é

Ela, ela, ela...

Obs.: Minha singela homenagem, neste dia tão estranho... Música She, cantado por Elvis Costello, espero fazer refletir…

G+

Mostruário...

Qualquer Coisa © 2008. Blog design by Randomness