A meus amigos antes de morrer...

Há lugares dos quais vou me lembrar por toda a minha vida, embora alguns tenham mudado.
Alguns para sempre e não para melhor. Alguns se foram e outros permaneceram.

Todos esses lugares tiveram seus momentos, assim com amores e amigos, dos quais ainda posso me lembrar.
Alguns estão mortos e outros estão vivendo em minha vida, eu mesmo já amei todos eles.

Mas de todos esses amigos e amores não há ninguém que se compare a você que tanto me foi importânte.
E essas memórias perdem o sentido quando eu penso no amor como uma coisa nova.

Embora eu saiba que eu nunca vou perder o afeto por pessoas e coisas que vieram antes,
eu sei que com freqüência eu vou parar e pensar nelas em minha vida, e que eu amo mais a você...

Texto baseado na música In my life de Ozzy Osborne...

Sobre as coisas que escrevo...

Você já pensou no porque as coisas acontecem? Quando acontecem e porque acontecem com certas pessoas?
Quero dizer, se você já pensou que talvez as coisas aconteçam por alguma certa razão?

Eu sempre escrevi coisas com essas idéias esquisitas. Tipo, porque algumas pessoas têm sorte e outras não. Algumas pessoas passam no vesti sem estudar e outras morrem doidos e nada.

Nesses últimos meses eu andei percebendo coisas engraçadas acontecerem... você já encontrou aquele velhos amigo de infância em uma cidade imensa sem nem saber que ele ainda era vivo? Aconteceu comigo...ou será que é normal estragar tudo com a pessoa que você gosta quando ela mais te quer? Às vezes acho que não.

As coisas que eu escrevo é sobre isso... Sobre doideiras que faço sem notar ou coisas que digo sem perceber.
São frases feitas ou pensamentos avulsos, mas sempre acabam dizendo algo.

Eu nunca consegui falar tudo o que eu queria da forma como queria. Eu nunca consegui dizer o que eu pensava. Isso é tão chato...

2ª Semana de férias, Fortaleza-Anpuh 2009

É uma desgraça chegar a esses dias e dizer: “Poha, só falta uma semana pra terminar as férias”, eu mesmo diria: “Ah, ainda temos uma semana pra curtir...”.
Cara, a vida é pra ser vivida e não sobrevivida... não fomos mandados aqui pra perder tempo.

Quando paro pra lembrar das coisas que fiz esse mês vejo muita curtição e muitas noites sem dormir...Conheci diversas pessoas de vários estados, fui a vários lugares e comi diversas doideiras que me rendeu um dia inteiro de vômito...

Na segunda semana de férias, em Sobral teve o show dos Paralamas e Titãs, juntos no mesmo palco. Foi muito massa ouvir os clássicos e ver o povo correr com medo de bombinhas achando que era bala... noite inesquecível em que briguei com uma velha amiga e esqueci que estava doente.

Dia seguinte estava eu embarcando no ônibus com destino a Fortaleza. Desembarcamos em frente à Casa Amarela da UFC e tivemos que andar muito até chegar ao alojamento. Ficamos hospedados no Ginásio Esportivo Aécio Borba na Av. da Universidade.

Abertura do XXV Simpósio Nacional de História

Aécio Borba, quadra vazia...

Nosso primeiro dia foi muito esquisito. Imaginem vocês dormir em um lugar com pouco mais de 15 pessoas e acordar com quase 200 indo e vindo, armando barracas e roncando pra todo lado. É horrivelmente esquisito.

Aécio Borba, quadra cheia

No segundo dia tivemos que fazer nosso credenciamento. Na ala amarela e com muita fila e muito sol. Logo mais a noite, tivemos a abertura do simpósio no Teatro José de Alencar, eu nunca vi cinco quarteirões tão compridos quanto aquela noite. O diretor da Anpuh Ceará soltou uma piadinha meio que ridícula em sua apresentação, mas é melhor não comentarmos.

Na segunda noite (ainda no domingo), me sentei com uma galera e começamos a tocar. O grupo cresceu e quando fomos notar já tinha gente de todos os estados cantando e bebendo. Quebrei o meu jejum de 35 dias ali quando um cara esfregou um Whisky na minha cara. Conheci Iany, da UVA da Paraíba e uns caras da UESP e umas minas da UEG.

Galera na praia do futuro

A semana continuou e na segunda feira fomos à praia, foi massa levar umas salgadas e comer camarão na areia. Levamos horas pra pegar o ônibus e foi a maior correria. Ao chegar ao alojamento fomos direto a FACED assistir aos primeiros simpósios.

A semana seguiu com muita curtição e violão. Nunca se ouviu tanto Raul quanto naquela semana. Conhecemos boa parte da cidade e comemos sanduíches bem esquisitos.

Regia era a mulher das birras, literalmente uma barraqueira. Fez o inferno da vida do diretor que até pôs um bebedouro e mandou avisar a ela. Barraqueira é o cão...

Vivíamos em guerra pelas tomadas, tínhamos que chegar e nos apossar das duas únicas que tinha. Meus celulares descarregaram na quarta-feira e o mp4 ainda no ônibus. As pates do dormitório discutiam tanto por isso.

Pouco antes da gente embarcar pra casa

O dia das despedidas chegou rápido demais. Foi um saco ter que olhar pra quadra e ver ela se esvaziar aos poucos. Nós fomos uns dos últimos a sair e pegar o ônibus de volta pra casa frente à Reitoria da UFC.

Davi e eu no ônibus

A vida continua e as saudades ficam. Trocamos contatos e ano que vem tem São Paulo. Será muito massa...

1ª semana de férias, a que passei em Sobral...

Arco do triunfo original, o da França é falso

Achei bem engraçado o início das minhas férias, achei até um pouco peculiar. Festas planejadas que não deram certo foi a pior coisa, mas tudo bem...

Eu estava andando pelo arco e avistei um amontoado de gente, como turista aqui em Sobral é coisa estranha e num pode ver nada que vai logo fotografando. Outro dia eu estava passando pela praça de cuba e vi um cara de chapelão fotografando o capim da praça, coisa esquisita isso, acho que ele queria chegar em casa e dizer: “Rapah, lá não é deserto, não”...

Em comemoração aos 90anos de comprovação da teoria da relatividade de Einstein e dos 10anos de fundação do Museu do Eclipse, vários cientistas vieram a cidade. Tiveram ufólogos dando palestras e até astrônomos olhando pra cima.

No inicio do mês, cientistas estavam com telescópios postados mostrando a lua, de três ângulos e distancias diferentes, e um focando vênus. Foi tão interessante ver os planetas e a educação do povo que fura fila e nem se importa com os comentários do povo, que reclamava da educação deles.

A CPMA, famosa ronda do quarteirão, foi implantada na cidade e o toque de recolher voltou a ativa. Hoje, quem for pego na rua sem identidade será mandado pra delegacia e só sai com responsável, certo que isso só acontece em países de primeiro mundo, mas nunca os contradigam.

Vanessa, cada vez mais loira...

A semana foi normal. Pessoas a rever e cerveja sem álcool imperaram naqueles dias. A semana se encerrou com a participação esplêndida de Vanessa Camargo na Boulevart deixando todos os clientes do Badakal na rua.

O show foi repleto de surpresas. Vanessa tocou músicas de outros compositores e as de seus CDs, incluindo clássicos que o povo já ta cansado de ouvir. As ruas estavam amontoadas de patis de salto e marginais drogados.

A noite se encerrou a uma e tanto da manhã. O show de fogos, que precedeu a apresentação da banda, foi esplêndido. Fogos caíram na quadra Quirino Rodrigues, vugo abrigo, deixando o povo abismado achando que a Terceira Guerra Mundial estava estourando, mas que foi até fraco comparado ao ano em que Pitty tocou, em que os três únicos fogos azuis iluminaram os céus da cidade.

O domingo foi normal. Arco cheio e monotonia...

G+

Mostruário...

Qualquer Coisa © 2008. Blog design by Randomness