Quando se percebe...

Então eu percebi... eu sou otário mesmo... Já havia notado isso há muito tempo, só não queria ver... eu achava que os meus gritos serviam para alguma coisa, mas na verdade só serviam pra provar o quanto eu havia me tornado imaturo e infantil... O tempo, às vezes, faz isso conosco e nos deixa crer que nem sempre amadurecemos... algumas vezes acabamos mesmo é apodrecendo...

No inicio eu apenas falava, citava, sussurrava ou mesmo escrevia a respeito e me mantinha firme nisso... Mas ai o tempo passou e pouca coisa mudou... Não estou menosprezando essas poucas mudanças que ocorreram, foram importantes para manter o foco e a vontade de persistir...

Mas o muito que não mudou é que atrapalhava mesmo... Quando o muito começa a pesar e qualquer coisa faz ele pendular para a direita ou mesmo para a esquerda... Quando o muito começa a esmagar o pouco e bom que havia sido construído... as conversas, as falas, as citações, os sussurros ou mesmo escrever sobre o assunto se tornaram gritos, insultos, acusações...

Foi neste instante que vi que continuar seria algo complicado de ser feito, já que os corações estavam tão distantes que chegavam a duvidar que um dia já estiveram perto e essa proximidade foi esquecida também... o conforto de um abraço, os carinhos bobos, as palavras doces e os gestos gentis foram ficando cada vez mais infrequêntes... Ae me tornei medroso e preocupado...

Agora, gritar causam dores maiores... dói a cabeça, dói o peito, dói a alma... Bate aquele desespero e vontade absurda de bater com a cabeça na parede... Então foi a vez de tentar compartilhar essas dores... Dizer o que acontecia e o que podia ser feito para evitar. A surpresa foi ver que o que evitava tudo isso já havia sido pedido desde o inicio, mas nada era feito para mudar... A tristeza e o desespero só aumentaram quando, mesmo tendo consciência, nada era feito para evitar tudo isso...

Como não entrar em desespero quando tudo o que se quer é ficar bem? Como não entrar em desespero quando a única pessoa que pode mudar esse quadro fica só a observar o que fez? Esperando, dia após dia, ver a bomba explodir... Chato é que ela explode sim todo dia, mas a cada explosão é uma lesão nova no coração, na alma e a vontade de continuar volta a cambalear como alguém que leva um tiro no ombro. Consegue continuar a caminhar, mas um pouco torto e meio sem vontade...

Sabe aquele momento em que você se sente triste e tem vontade de chorar? Estou me sentindo tão bobo e tão frágil que chega a dar medo, mas depois eu percebi que esse pouco e bom que havia sido construído ainda faz valer a pena continuar... Porquê, de repente, vai que muda e fica tudo perfeito... Como sempre soubemos que ficaria...

0 comentários:

Postar um comentário

G+

Mostruário...

Qualquer Coisa © 2008. Blog design by Randomness